Portal Terapia Espiritualista 
Transtorno de Humor
Transtorno de Humor

O DSM-4 caracterísa os transtornos do humor em: episódio depressivo maior; episódio maníaco;
episódio misto; episódio hipomaníaco; transtornos depressivos; transtorno distímico; transtornos
bipolares I e II; transtorno ciclotímico e transtorno do humor induzido por substâncias. Veja a descrição dos principais transtornos do humor.
Episódio Depressivo Maior
Este se caracteriza e se distingui por um ou mais episódios depressivos, ou seja, pelo menos duas semanas de humor deprimido ou perda do interesse em geral, associado ao quadro de depressão. O Transtorno Depressivo Maior pode começar em qualquer idade, situando-se a média em torno dos 25 anos. Está associado com uma alta mortalidade. Os indivíduos com Transtorno Depressivo Maior
severo, que morrem por suicídio chegam a 15 por cento.
O Transtorno Depressivo Maior é duas vezes mais comum em mulheres adolescentes e adultas do que em adolescentes e adultos do sexo masculino. Em crianças, meninos e meninas são igualmente acometidos. Os índices em homens e mulheres são mais altos no grupo dos 25 aos 44 anos, sendo menores para homens e mulheres com mais de 65 anos. Aparece com mais facilidade em indivíduos que possuem parentesco com pacientes acometidos pelo estado depressivo.
Transtorno Distímico

Já este, singularmente se caracteriza por pelo menos dois anos de humor deprimido na maior parte do tempo, ou seja, praticamente todos os dias, além de ser acompanhado por sintomas depressivos.
Os pacientes se descrevem como tristes e sem vontade. Em criança ao invés de deprimido, o humor pode ser irritável, e com duração de um ano já é caracterizado como transtorno distímico.
Normalmente durante o período com este humor deprimido, o indivíduo pode apresentar sintomas como apetite aumentado ou hiperfagia, insônia ou hipersonia, baixa energia ou fadiga, baixa auto-estima, fraca concentração ou dificuldade de tomar decisões, além de sentimentos de desesperança.
Percebem-se como desinteressantes e incapazes, baixo interesse e autocrítica. É importante salientar que estes sintomas tornam-se tão constantes e cotidianos, que podem não ser percebidos pelos pacientes.
Transtorno Bipolar I
Neste, especificamente é caracterizado por um ou mais episódios maníacos mistos, geralmente acompanhados por episódios depressivos maiores. Neste caso, há uma alternância de humor entre deprimido e eufórico. A recorrência é indicada por uma mudança na polaridade do episódio ou por um intervalo entre os episódios de pelo menos dois meses sem sintomas maníacos. Uma mudança na polaridade é definida como um curso clínico no qual um Episódio Depressivo Maior evolui para um Episódio Maníaco.
O Transtorno Bipolar I é um transtorno recorrente, mais de 90 por cento dos indivíduos que têm um Episódio Maníaco Único terão futuros episódios. Aproximadamente 60 a 70 por cento dos Episódios
Maníacos frequentemente precedem ou se seguem a Episódios Depressivos Maiores em um padrão característico para a pessoa em questão. O número de episódios durante a vida (tanto Depressivos quanto Maníacos) tende a ser superior para Transtorno Bipolar I, em comparação com Transtorno
Depressivo Maior Recorrente, porém o intervalo entre os episódios tende a diminuir com a idade.
Transtorno Bipolar II
A característica essencial do Transtorno Bipolar II é um curso clínico marcado pela ocorrência de um ou mais Episódios Depressivos Maiores, acompanhados por pelo menos um Episódio Hipomaníaco.
Os sintomas causam sofrimento clinicamente significativo ou prejuízo no funcionamento social ou ocupacional ou em outras áreas importantes da vida do indivíduo. Em alguns casos, os Episódios Hipomaníacos em si não causam prejuízo; no entanto, este pode decorrer dos Episódios Depressivos
Maiores ou de um padrão crônico de episódios imprevisíveis de humor e de um funcionamento
interpessoal ou ocupacional flutuante e inconfiável.
Os indivíduos com Transtorno Bipolar II podem não ver os Episódios Hipomaníacos como patológicos, embora outras pessoas possam sentir-se perturbadas pelo comportamento errático do indivíduo. Muitas vezes, particularmente quando em meio a um Episódio Depressivo Maior, os indivíduos não se recordam dos períodos de hipomania se não forem lembrados por amigos íntimos ou parentes. As informações oferecidas por outras pessoas frequentemente são críticas para o estabelecimento do diagnóstico de Transtorno Bipolar II.
Transtorno Ciclotímico
Podemos mencionar que a característica essencial do Transtorno Ciclotímico é uma perturbação crônica e flutuante do humor, envolvendo numerosos períodos de sintomas hipomaníacos e numerosos períodos de sintomas depressivos. O prejuízo mais frequênte pode desenvolver-se como resultado de períodos prolongados de alterações cíclicas e humor imprevisivel, a pessoa acaba por perder a confiança de amigos, familiares ou colegas por ser considerada temperamental.
Transtorno do Humor Induzidos por Substâncias
A característica essencial do Transtorno do Humor Induzido por Substância, é uma perturbação proeminente e persistente do humor, considerada devido aos efeitos fisiológicos diretos de uma substância (drogas, medicamentos ou outros tratamentos somáticos para a depressão ou exposição a uma toxina). Dependendo da natureza da substância e do contexto no qual os sintomas ocorrem, a perturbação pode envolver humor depressivo ou acentuada diminuição do interesse ou prazer, ou humor elevado, expansivo ou irritável.
A hipnose é indicada para o tratamento dos transtornos do humor, normalmente associada a indicação de fármacos. O remédio, no início do tratamento com a hipnose, serve para controlar os sintomas mais crônicos. Para que a hipnoterapia possa produzir os efeitos mentais de equilíbrio e superação.

Translate to English Translate to Spanish Translate to French Translate to German Translate to Italian Translate to Russian Translate to Chinese Translate to Japanese
ONLINE
3