Portal Terapia Espiritualista 
Os benefícios da Hipnose
Os benefícios da Hipnose

A hipnose não é mágica, truque ou bruxaria, nem tem relação com questões religiosas. Aos menos avisados, pode causar espanto, ceticismo ou descrédito, principalmente pela ação de charlatões que utilizavam a hipnose em seus espetáculos de mágica. Entretanto, estudos científicos com utilização de tomografia computadorizada confirmaram que o cérebro pode reagir aos comandos de um hipnotizador.

O hipnotismo é praticado desde a mais remota antiguidade. Os “doutores bruxos” ou “curadores” utilizavam técnicas para curar seus pacientes, e foi a base das ciências ocultas no antigo Egito e na Grécia, sendo seus efeitos considerados verdadeiros milagres.

O desconhecimento pleno da mente humana dificulta a conceituação e explicação dos mecanismos através dos quais a hipnose produz seus efeitos. Ao contrário do que parece, durante a sessão hipnótica o cérebro está em plena atividade. Reações cerebrais desencadeiam a produção de neurotransmissores, substâncias que transmitem informações através do sistema nervoso, provocando diversas reações orgânicas.

O termo hipnose (Hypnos = deus do sono) foi dado pelo médico James Braid em 1843, e se popularizou. Entretanto, a pessoa hipnotizada não dorme, simplesmente fica relaxada. O relaxamento físico já é benéfico para aqueles que buscam apenas restaurar a energia corporal. Porém, a hipnose vem ganhando espaço cada vez maior como ferramenta de tratamento de diversas doenças ou síndromes, sejam físicas, emocionais ou psíquicas.

A hipnose é uma forma de comunicação, em que a base fundamental é a sugestão. É um estado de atenção concentrada, quando é possível ao indivíduo reagir aos estímulos do hipnotizador (sugestões) ou aos próprios comandos (auto-hipnose).

Pode ser indicada como auxílio terapêutico em distúrbios psíquicos como tiques, fobias, depressão e síndrome do pânico, bem como em casos de vícios (tabagismo, alcoolismo, drogadição). Tem sua ação comprovada também no controle da dor, sendo utilizada, por exemplo, por dentistas e até em cirurgias. Sua aplicação em outras áreas, como esporte, aprendizado e regressão de idade são outros destaques de sua utilização.

No tratamento da lombalgia (dor nas costas), por exemplo, podemos combinar o relaxamento muscular e analgesia (alívio da dor) através da hipnose com resultados a curto prazo. Passada a fase de dor, programa-se o tratamento reabilitacional do paciente combinando outras técnicas como acupuntura, osteopatia, e outras terapias manuais, sempre respeitando sua individualidade.

Na prática esportiva, os russos são os mais antigos a utilizar a hipnose para o desempenho atlético.
Por meio dessa técnica, pode-se controlar a ansiedade, melhorar a capacidade de atenção e concentração, afastar os pensamentos e sentimentos de fracasso, manter o autocontrole e autoconfiança.

A hipnose pode ser aplicada por médicos, psicólogos e dentistas. A hipnose como modalidade terapêutica deve ser bem indicada, e se realizada por profissionais não capacitados, ou em pacientes com predisposição a distúrbios psiquiátricos, pode ser mais prejudicial que benéfica. Sua aplicação é vasta, mas com indicação precisa.

» A hipnose não cura. Pode fazer parte de um programa de tratamento global do paciente como uma técnica complementar.

» Fatores emocionais e psicológicos (como ansiedade, angústia, raiva) envolvidos na obesidade podem ser tratados pela hipnose.

» São vários os fenômenos que o paciente pode experimentar durante uma sessão de hipnose. Amnésia, sonolência e anestesia são alguns exemplos.

» A Neuropsicoimunologia demonstra efeitos benéficos no sistema imunológico através da hipnose.

» Para os pacientes com medo de agulha, é possível combinar o uso da hipnose em sessões de acupuntura.

Translate to English Translate to Spanish Translate to French Translate to German Translate to Italian Translate to Russian Translate to Chinese Translate to Japanese
ONLINE
3