Portal Terapia Espiritualista 
Predestinação, tempo, reencarnação, lei da atração
Predestinação, tempo, reencarnação, lei da atração

predestinacao

“…Porem minha duvida esta em atrair coisas “matérias”. Se a nossa “caminhada” já esta definida como podemos atrair coisas materiais com a “lei da atração” se tudo já esta certo?”

-Quem disse que está tudo definido? Nossa percepção do significado de “estar definido” está diretamente atrelado ao nosso conceito de tempo. “Está definido que ontem foi assim, hoje assado e amanhã será daquela maneira”- pensamos na tentativa de entender nossos caminhos.

Mas, não só o tempo,as experiências também são relativas na medida que refletem nossa própria percepção sempre parcial, sempre a partir de uma única perspectiva, sempre condicionada às nossas limitações de tempo, de espaço, de cultura, de cenários…

O que estou querendo dizer é que sua vida não está definida pela simples razão de que ela só se realiza em um único e eterno momento: o agora. Vou tentar ser mais claro.

Tudo o que pensamos sobre predestinação se dilui no exato momento em que entendemos que o tempo é só uma mídia que nos ajuda a percebermos e organizarmos as experiências. Não só o tempo, assim como o espaço, ambos estão condicionados à nossa velocidade em relação a luz, ou seja, a forma como concebemos essa experiência não é absoluta.

Se é assim só posso dizer que algo já está definido ou que há algum tipo de predestinação se admito que essa percepção apenas se encaixa como explicação parcial, condicionada a um “não absoluto” – o tempo – e , consequentemente o futuro (miragem). Essa é uma das razões pela qual pessoalmente não creio na teoria da reencarnação, por tratar-se de uma impressão linear, hoje sou, amanhã deixarei de ser, depois de amanhã serei de novo e assim sucessivamente em uma escalada temporal e relativa.

Sem os limites do tempo só me resta o hoje, aonde absolutamente tudo acontece, aonde já sou todas as coisas, apesar de, condicionado ao tempo, só enxergar em parte.

Hoje é o dia que nasci, o dia que morri, o dia em que ainda não vim a ser. Hoje eu caio e levanto, hoje eu sei e deixo de saber, hoje sou todas as coisas que um dia serei, mas só ainda não sou porque preciso da experiência cronológica da percepção do tempo, do espaço, do ego, da separação, do fora, do longe, do perto, do passado, do futuro, exatamente para quem não consegue pensar fora dos limites do tempo e do espaço e precisa do “ainda não”.

Tudo isso parece confuso porque não concebemos o que de fato significa a eternidade. Eternidade é o momento, é ser, é o agora.

Portanto, nada está definido porque tudo já é. Nada será, nem foi, apenas está continuadamente sendo conforme vejo. É por isso que essas questões referentes a destino, predestinação, definição do que será nossa vida só cabe em teorias, em divagações mentais, mas jamais se aplica a nossa realidade mais essencial, aquela que é eterna e existe em absolutamente todos os “tempos”.

Você pergunta sobre como atrair coisa materiais. Acredito que quando tentamos, passamos a vibrar outra coisa, portanto, afastamos.

Pessoalmente acho que a melhor maneira para atrair coisas materiais é agindo conforme a matéria, ou seja, dinheiro se atrai trabalhando, um amor se atrai investindo na conquista e assim por diante. É claro que a maneira como vamos trabalhar, conquistar ou seja mais o que for está atrelado aquilo que sou, a como vibro, a como percebo a vida, é claro que as consequências também estão vinculadas a isso, mas nesse caso voltamos ao que eu escrevi antes sobre a “lei da atração”.

Atrairei o que vibro, vibro o que sou, sou o que preciso naquele momento e, sinceramente, acho que essa percepção é suficiente para que eu me pacifique e procure, agora, ser o que de fato sou. O que vier depois será mera consequência e, portanto, não merece minha ocupação.

 

Translate to English Translate to Spanish Translate to French Translate to German Translate to Italian Translate to Russian Translate to Chinese Translate to Japanese
ONLINE
4